Missionárias de Jesus Crucificado

Missionárias de Jesus Crucificado

Onde Estamos

 

Vivendo o impulso do Concílio Vaticano II, a Congregação reviu sua missão, sua vida consagrada. Grupos assumiram lugares mais desafiadores e carentes. Viveram a primeira experiência feita pela Igreja no Brasil, assumindo "paróquia sem padre", na cidade de Nísia Floresta-RN.

Partiram para favelas, periferias das cidades "os bicos de rua", como dizia Dom Barreto. Deixaram as grandes Casas, grandes Comunidades para viverem em casas semelhantes às do Povo, em pequenos grupos inseridos junto à população. 
O "ir em busca " acontece hoje, com grande preocupação de inculturação para entender, sentir, valorizar, respeitar e amar o DIFERENTE na cultura de irmãos e irmãs de outras raças e países.
No Brasil, a presença das Missionárias de Jesus Crucificado acontece em quase todos os estados. 
É grande a preocupação com os mais necessitados na zona rural, nas periferias das cidades, na área amazônica.
Nestes locais, as Missionárias de Jesus Crucificado acompanham Comunidades Eclesiais de Base, Comunidades Paroquiais, Movimentos Populares, Formação de lideranças, Formação Bíblica. Também trabalhos com alimentação e saúde alternativa, educação, economia solidária. Dão sua contribuição nas Organizações de Mulheres, de trabalhadores (as), de Jovens, em organizações e entidades que se preocupam com o menor e a terceira idade, moradores de rua, sem teto, sem terra. Apóiam e acompanham grupos e movimentos afro-descendentes e indígenas.

Dom Barreto dizia: "vejo-as nacionais hoje, internacionais amanhã". 
A profecia cumpriu-se. Depois do primeiro grupo para Angola , a "porta" não mais se fechou: partiram para o Chile ,Equador, Bolívia , Paraguai , Uruguai, Nicarágua ,Moçambique e Quênia